EUA: 17 grupos universitários fazem cartas abertas contra vigiliancia em massa

A EFF noticiou que dezessete grupos universitários dos Estados Unidos publicaram cartas abertas sobre os efeitos reais da vigilância em massa sobre a liberdade acadêmica e a vida no campus. As cartas abertas são uma resposta convocação publicada pela EFF contra as ações ilegais da NSA.

Além de aderir ao documento global “Estudantes contra a vigilância em massa“, cada instituição elaborou uma carta aberta própria, abordando o futuro da academia sob uma autocensura e informando sobre a existência de algum protesto em favor da liberdade na Internet:

“A vigilância em massa pela NSA sem mandado restringiu nossa capacidade de pensar, agir, pesquisar, inovar e compartilhar idéias livremente em uma infinidade de maneiras” – Stanford University

“A vigilância da NSA mira especificamente os estrangeiros, independentemente de eles terem realmente feito algo de errado” – Queens College Students and Faculty

“Os programas de vigilância em massa da NSA são ineficazes e apresentam um enorme potencial para o abuso” – New York University

Estudantes e professores LGBT enrustidos poderiam ser retirados do armário; estudantes que procuram assistência em saúde mental poderiam parar de procurar atendimento, por medo de que a informação se tornasse pública; qualquer pessoa pesquisando temas controversos poderia ser monitorada, e os dados poderiam ser usados ​​contra ela. A segurança dos alunos que estão, possivelmente, confiando suas vidas a recursos online não pode dar ao luxo de estar desprotegida” – University of British Columbia

A vigilância indiscriminada das telecomunicações pelo governo dos Estados Unidos é motivo de preocupação, não só para os alunos, professores e funcionários da universidade, mas para quem valoriza o discurso livre e aberto na educação” – University of California, Berkeley

Fonte:

Deixe uma resposta