EUA: CIA pede desculpas por ter espionado o Senado

Após negar por meses as denúncias, nesta quinta-feira, 31, o diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos EUA, John Brennan, admitiu a espionagem de membros da Comissão Especial de Inteligência do Senado e pediu desculpas pela conduta de seus oficiais. O grupo de trabalho do Senado é responsável justamente por supervisionar as atividades das agências de inteligência estadunidenses, e está prestes a divulgar um relatório sobre o uso de tortura pela CIA desde 11 de setembro de 2001.

Uma investigação interna revelou que dez funcionários da CIA acessaram indevidamente sistemas de computadores destinados ao desenvolvimento das atividades da Comissão Especial do Senado. O relatório da investigação concluiu que a CIA clandestinamente pesquisou arquivos e revisou emails de alguns membros da equipa da Comissão em computadores que deveriam ser exclusivos para investigadores do Congresso terem acesso a registros sobre os métodos de interrogatório utilizados após os ataques ao World Trade Center.

o-JOHN-BRENNAN-DRONES-facebook
John Brennan, diretor da CIA

Segundo denúncias da Comissão Especial feitas em março deste ano, os documentos que haviam sido disponibilizados para análise foram depois apagados da rede, prejudicando as investigações. A resposta do diretor da CIA vinha sendo dura, negando veementemente a obstrução ao trabalho do comitê e acusando os Senadores de vazarem documentos sigilosos. O imbróglio levou a acusações recíprocas perante o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que decidiu não prosseguir com nenhuma das duas.

Entretanto, diante do resultado da investigação interna, John Brennan encaminhou um pediu desculpas e ordenou a criação de um grupo de trabalho, que vai aferir as ações dos funcionários da CIA e aplicar as medidas disciplinares cabíveis.

A presidente da Comissão Especial, Senadora Dianne Feinstein, notória defensora das atividades de vigilância da NSA, surpreendeu em março deste ano ao acusou publicamente a CIA de reter informações e intimidar membros de sua equipe. Em resposta ao pedido de desculpas, ela afirmou hoje que se trata de um “primeiro passo importante“, mas preferiu não requerer a exoneração de Brennan.

Por sua vez, os senadores Mark Udall e Martin Heinrich foram mais severos e pediram a queda do diretor da CIA:

Eu não tenho escolha a não ser pedir a demissão do diretor da CIA, John Brennan. (…) A CIA inconstitucionalmente espionou o Congresso ao invadir computadores da Comissão de Inteligência do Senado. Esta falta grave não só é ilegal, mas ela viola a exigência da separação dos poderes da Constituição dos EUA. Estas infrações, juntameto com outros erros de julgamento por parte de alguns na CIA, demonstra, uma tremenda falha da liderança, e deve haver consequências.” – Sen. Mark Udall

Eu votei para aprovar John Brennan para chefiar a CIA, na esperança de que ele pudesse ajudar a reconstruir um pouco da confiança entre a agência e da Comissão de Inteligência. Mas essa confiança só tem se deteriorado durante o seu mandato. Eu perdi toda a confiança na liderança do diretor Brennan da CIA e franqueza no trato com a Comissão” – Sen. Martin Heinrich.

Fontes:

Uma ideia sobre “EUA: CIA pede desculpas por ter espionado o Senado”

Deixe uma resposta