O que saiu por aqui:

Três documentários que alegam denunciar escândalos relacionados ao candidato do PSDB à Presidência da República e ex-governador do estado de Minas Gerais, Aécio Neves, foram alvos de uma técnica extremamente preocupante em termos de liberdade de expressão na Internet: o notice-and-takedown.

Neste domingo (19) o secretário de justiça britânico, Chris Grayling, anunciou planos do governo de quadruplicar as penas máximas para os trolls de internet. As alterações devem tomar a formas de emenda ao projeto de lei das cortes e da justiça criminal, aumentando o tempo máximo das sentenças de restrição de liberdade de seis meses para até dois anos.

Nesta terça-feira (21), o Brasil fez seu pronunciamento durante a Reunião Plenipotenciária da União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência da ONU responsável pela gestão internacional das telecomunicações e, incidentalmente, de alguns temas relacionados à Internet. O País foi representado pelo Diretor de Assuntos Internacionais da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Sr. Jeferson Fued Nacif.

No dia 26 de setembro, nós do Instituto Beta para Internet e Democracia – IBIDEM realizamos a Wikitona Eleições 2014. Uma semana antes do primeiro fim de semana de votações pelo País, contamos com o apoio da do Programa Catalisador da Wikimedia Foundation e do Laboratório Hacker da Câmara dos Deputados para uma maratona de edição e criação de verbetes na Wikipédia, relacionados às eleições gerais no Brasil em 2014. Passadas exatamente 4 semanas, e às vésperas do segundo turno, fazemos um balanço do evento e registramos a experiência.

 

O que ler por aí:

Segundo dados disponibilizados pela autoridade australiana em comunicação e mídia, as requisições de metadados telefônicos e de internet feitas pelo governo é quase duas vezes maior do que o divulgado pelos relatórios das agências de segurança do país. Enquanto nos relatórios apresentados pelo governo australiano a cifra de requisições gira em torno de 300.000, as últimas notícias aumentam o número para 582.727 pedidos de entrega de metadados, que são usados para inferir informações mais sensíveis dos cidadãos alvos da coleta.

Nesta terça-feira, Iain Lobban, diretor da agência britânica de espionagem digital, o GCHQ, se dirigiu ao parlamento em defesa das atividades de seus funcionários. Segundo Lobban, afirmou que o trabalho da agência é realizado por “pessoas comuns realizando um trabalho extraordinário”, acrescentando que trata-se de “proteger a liberdade, não erodi-la”. Nos últimos meses a agência tem estado no centro das atenções em razão das revelações de Edward Snowden, que expuseram os programas de vigilância em massa e colocaram a instituição ao lado de outros órgãos de segurança anglófonos no que ficou conhecido como o 5eyes.

 

Deixe uma resposta