O que saiu por aqui:

Nesta sexta-feira (19), uma reportagem do jornal russo Vedomosti revelou um suposto plano do governo da Rússia para desligar o país do resto da Internet em caso de ameaça externa ou de agitações populares internas. O Kremlin, se pronunciou afirmando que o país não está buscando mecanismos para um bloqueio sistemático da Internet ou para seu desligamento, mas que está, sim, trabalhando em projetos de cibersegurança para se proteger em caso de ações imprevistas de seus parceiros ocidentais.

Marina Silva, presidenciável pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), compareceu nesta segunda (22) ao encontro “Diálogos Conectados — um papo sobre internet” promovido pela campanha “Banda Larga é um direito seu!”. A participação da candidata Marina Silva deixou uma impressão ambígua para o público e para os debatedores. Vários ficaram receosos com a falta de precisão e profundidade apresentada pela candidata do PSB, que muitas vezes deu respostas evasivas e, no decorrer do debate, admitiu não ter discutido o assunto com a profundidade exigida pelos outros debatedores. Os organizadores do evento avaliaram que a candidata foi vaga em suas propostas.

O grupo de pesquisa latino americano Diálogo Regional sobre a Sociedade da Informação – DIRSI publicou neste mês de setembro o estudo “Internet e Pobreza: abrindo a caixa preta” (The internet and poverty: opening the black box). A obra investiga os impactos sociais e econômicos do acesso à Internet em conexões de banda larga. A conclusão geral do estudo aponta efeitos muito mais suaves do que se esperava.

Essa semana foi a vez do DuckDuckGo, “mecanismo de busca que não rastreia você“, entrar para a lista de serviços bloqueados na China. O DuckDuckGo se propõe abertamente a respeitar a privacidade de quem usa seus serviços: o site não rastreia quem o acessa. Assim as preocupações vão além das liberdades de expressão e de informação, alcançando também a privacidade e a proteção de dados pessoais.

BNI_580x230px_hackathon_2014Faltam poucos dias para o encerramento do período de inscrições de projetos para o Hackathon Gênero e Cidadania, que reunirá até 50 pessoas na Câmara dos Deputados (cobrindo despesas de viagem) para transformar informações de interesse público em soluções web. O prazo vai até a próxima sexta-feira (3) e o evento acontece no final de novembro, organizado pela Secretaria da Mulher da Câmara pelo Laboratório Hacker, com apoio do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça da Câmara, e em parceria com o Banco Mundial.

O que ler por aí:

James Comey, diretor do FBI se diz preocupado com o marketing dos novos celulares da Apple e do Google. As empresas têm anunciado seus produtos como sistemas encriptados e seguros, menos suscetíveis à vigilância governamental. Para o diretor do FBI os anúncios sugerem que os usuários estariam “acima da lei”.

O boato de que fotos da atriz Emma Watson nua seriam publicizadas na internet revelou-se uma jogada de marketing de um site chamado Rantic Marketing. Rantic afirma que seu objetivo é o fim do imageboard 4chan. Segundo a história que circulou no começo da semana, o vazamento das fotos seriam uma retaliação ao discurso proferido pela atriz na ONU, sobre direitos das mulheres. Entretanto, na noite de quarta-feira (24), o endereço do site onde as ameaças foram divulgadas passou a redirecionar para a página da Rantic, estampando uma carta aberta ao presidente Barack Obama pedindo a censura do 4chan.

 

Deixe uma resposta